Eventos de Metodologias Transformadoras: primeiras impressões, expectativas e socialização de conhecimentos

16 de agosto de 2011 Processocom

Por Franciele Zarpelon Corrêa

Neste dia 15 de agosto, momento que antecede os Eventos promovidos pela Rede AMLAT e pelo grupo de pesquisa PROCESSOCOM, foi possível perceber uma inicial preparação de pesquisadores para as produtivas discussões que devem integrar tanto o Encontro, como o Seminário de Metodologias Transformadoras. O Prof. Dr. Adrian Padilla Fernández, por exemplo, como um dos pesquisadores participantes, vem representar a Universidad Nacional Experimental Simón Rodríguez (UNESR) a partir do programa acadêmico CEPAP – Centro de Experimentação para uma Aprendizagem Permanente, existente na Venezuela.

Em clima pré-eventos, Adrian fala de suas primeiras impressões referente à UNISINOS, onde ressalta que é a segunda vez que vem à universidade. A referência que tem é de uma boa organização da universidade, com recursos de qualidade disponíveis, como é o caso da biblioteca, além de considerar importante esse movimento de pesquisa e produção de conhecimento.

Sobre as expectativas geradas pelos dois eventos que acontecem essa semana de forma simultânea, destaca que os Encontros metodológicos da Rede são sempre muito produtivos e intensos, e que este não deverá ser diferente. “A gente sai fortalecido dessas reuniões, acho que desta vez vai ser igual, nos conhecemos mais, estamos já no segundo ano de trabalho da equipe, desses vários países que fazem parte da rede e também, das várias universidades”, acentua Adrian. Em referência ao Seminário, salienta a importância da proposta, na medida em que é também uma possibilidade de entrar em contato com os estudantes, suas pesquisas e reflexões.

Salienta ainda, que a comissão pela qual está integrado juntamente com o Prof. Ms. Noel Padilla, tem por objetivo trazer para os eventos a perspectiva de pensar o trabalho que realizam na Venezuela. Considera assim, que trabalham em um programa acadêmico de Licenciatura em Educação, mas relacionam a educação com a comunicação. “Estamos trabalhando uma perspectiva transdisciplinar e também transmetodológica, com os campos da educação e da comunicação, que seria a educomunicação. Esta, não apenas como um campo de conhecimento, mas também como prática cultural, que configura os sujeitos políticos e culturais”. Nessa medida, vê também a importância de Encontro e Seminário enquanto forma de propiciar a socialização de conhecimento a partir da rica interação com demais colegas investigadores.

comments

Previous Post

Next Post