Do doutorado e suas passagens

13 de agosto de 2010 Processocom

Por Carmem R. A. Pereira

Toda defesa de tese é um misto de tensão e de conforto, afinal representa a conclusão de uma etapa construída ao longo de mais de quatro anos de trabalho postos em discussão pública.  No dia seis de agosto defendi na Unisinos minha tese intitulada PROCESSOS COMUNICACIONAIS KAINGANG: CONFIGURAÇÕES E SENTIDOS DA IDENTIDADE CULTURAL, MEMÓRIA E MÍDIA EM PERSPECTIVA HISTÓRICA, com orientação do mestre Efendy Maldonado.

O momento da aparesentação

O momento da aparesentação

No meu caso posso dizer que este momento se fez ainda com imensa alegria por constatar que a pesquisa inspirada pelo pensamento intercultural abordando a força das matrizes históricas na rede de mediações que contextualizam a recepção, as marcas da midiatização nos jeitos de ser receptor, a historicidade do sujeito comunicacional e a construção da visibilidade social indígena sulista foi reconhecida no bojo das trilhas epistemológicas, teóricas e metodológicas tecidas pelo Processocom.

Alegria maior por ser um momento compartilhado com familiares e amigos que também tiveram oportunidade de conhecer a excelência e a simpatia de uma banca formada pelos professores Dra.Veneza Veloso Mayora Ronsini (UFSM); Dr. José Eugênio de Oliveira Menezes (FACASPER); Ronaldo Cesar Henn (UNISINOS); Dra.Jiani Adriana Bonin (UNISINOS) e o Dr. Alberto Efendy Maldonado (Orientador).

Depois da banca

Depois da banca

Por muito do que vivi ao longo do doutorado e passei durante a minha defesa posso dizer que é impossível ser feliz sozinho…

comments

Previous Post

Next Post