Boaventura de Sousa Santos pede o fim da perseguição contra os movimentos sociais no RS (audio)

1 de Fevereiro de 2010 Processocom

Marcelo Ferreira

Era a última semana de janeiro. Porto Alegre e cidades vizinhas fervilhavam por ocasião da décima edição do Fórum Social Mundial. Eu, estagiário do cerimonial do Ministério Público do RS, que na quarta-feira havia participado do 4° Seminário de Políticas Sociais – evento do Fórum realizado na Unisinos que trouxe, entre seus painelistas, o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos – na quinta-feira trabalhava na organização de uma atividade do Fórum.

O evento “Ministério Público e Direitos Humanos, a década que passou e a década que virá”, uma parceria de diversos Ministérios Públicos, andava tanto prolixo em seu começo, com promotores fazendo um balanço da atuação do MP em defesa dos direitos humanos. Eu observava tudo desde minha sala, atrás do auditório, e aproveitava o tempo para ler o documento “A ofensiva da direita para criminalizar os movimentos sociais”, da Via Campesina Brasil [link para download].

Foi então que escutei ser anunciado Boaventura de Sousa Santos, que eu nem sabia que participaria do evento. Levantei-me para assisti-lo e na mesma hora me veio à cabeça o que o sociólogo havia falado no dia anterior, em sua palestra na Unisinos, sobre as ações de criminalização contra o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que ano passado foram legitimadas pelo Ministério Público do RS.

Boaventura foi ao púlpito, frente a diversos magistrados, inclusive à Procuradora Geral do RS, a Dra Simone Mariano da Rocha, e falou sobre o quão nobre é o trabalho de um Ministério Público na defesa das minorias dentro das democracias. Após isso, ele revelou o verdadeiro objetivo de sua presença, ele viera fazer um pedido ao Ministério Público: que fossem arquivadas todas as ações civis públicas contra o MST no Rio Grande do Sul.

O sociólogo ainda falou que desse arquivamento dependia o retorno do Fórum Social Mundial ao RS. Segundo ele, já que o RS estava passando por movimentos perigosos rumo ao fim da liberdade de manifestação social, não haveria mais “ar” para o retorno do Fórum, que aqui nasceu.

A seguir, escute o que falou Boaventura de Sousa Santos nesta sua forte e curta intervenção (11 minutos) junto ao Ministério Público do Rio Grande do Sul durante o 10º Fórum Social Mundial.

comments

Previous Post

Next Post