Verdade Técnica

28 de setembro de 2009 Processocom

Rafael Tourinho Raymundo

Se a cena ao longe ocorre
É, então, disseminada
Pois a ação não é limitada
Pelo tempo que transcorre
A notícia não tem hora
O jornalista bem sabe
É preciso agilidade
Ao se expor toda verdade

Entre a apuração dos fatos
E a pressa de dar o furo
Tateia-se no escuro
À procura de respostas
Testemunhas contradizem
A versão ora proposta
Comprometem a claridade
Da verdadeira verdade

Redigir-se-á um texto
Para narrar o ocorrido
Será feito desprovido
De emoção e de contexto
Quem, quê, quando, como e onde
São perguntas infalíveis
Se aprende na faculdade
O lead conta a verdade

Quando a luz atravessada
Pela teleobjetiva
Reproduz o que a retina
Limitada não alcança
Redefine as distâncias
Faz do espaço uma imagem
Sem proporcionalidade
Lentes contam sua verdade

E os sons da voz humana
Que, juntos, formam palavras
São frases quantificadas
Em ondas de transmissão
Vai, no rádio, a precisão
Da voz se tornar ruído
Mas sentido há na mensagem
Ondas contam sua verdade

Às informações da mídia
Cada qual, então, reage
Não se prendem a detalhes
Aumentando a perfídia
Ponto a ponto o conto cresce
E as pessoas acreditam
Recortam a realidade
Cada qual com sua verdade

A verdade que está lá
É o real que não se atinge
Pois a história se restringe
Ao olhar de cada um
Vira, assim, lugar comum
A verdade incompleta
Mas a meta é a verdade
Sempre, sempre a verdade

comments

Previous Post

Next Post