Processocom no Congresso Nacional da Intercom

15 de setembro de 2009 Processocom

O Grupo de Pesquisa Processocom teve expressiva participação no XXXII Congresso Nacional da Intercom (Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação), que aconteceu de 4 a 7 de setembro na Universidade Positivo. Ao todo, quinze pesquisadores do grupo desembarcaram na capital paranaense para expor seus projetos e trocar experiências com outros pesquisadores em comunicação do Brasil.

FAxina

Elson Faxina durante evento de abertura do Congresso da Intercom

Grupo

Pesquisadores do Processocom reunidos no evento inicial

Os participantes:

efendy_intercom

Efendy Maldonado

O pesquisador Efendy Maldonado foi um dos representantes do Processocom. Sua participação se deu na coordenação da sessão “Educação, Pesquisa e a Comunicação para a Cidadania”, realizada no domingo, dia 6 de setembro, no GP Comunicação para a cidadania e na co-autoria do texto sobre a realidade política do Paraguai com Rafael Foletto.

carmem intercom

Carmem Rejane Antunes Pereira

A pesquisadora Carmem Rejane Antunes Pereira participou do evento no GP Comunicação para a Cidadania, apresentando sua pesquisa intitulada “Identidades Culturais e Cidadania no Contexto dos Processos Comunicacionais Kaingang na Região Metropolitana de Porto Alegre”. Seu trabalho trata das relações entre memória e configurações da identidade cultural nos processos comunicacionais Kaingang. As reflexões têm por base as proposições teórico-metodológicas das mediações socioculturais e contribuições da história oral, para investigar os lugares indígenas nas construções midiáticas e nas apropriações operadas por interlocutores situados nos fluxos da Região Metropolitana de Porto Alegre (RS).

Juciano de Sousa Lacerda

Juciano de Sousa Lacerda

Também no GP Comunicação para a Cidadania, o pesquisador Juciano de Sousa Lacerda apresentou sua investigação, intitulada “Comunicação Comunitária e Local em Rede: lógicas, práticas e vivências de sociabilidade e cidadania em telecentros no Agreste da Borborema-PB”. Neste texto, foi apresentada uma proposta de investigação das lógicas, práticas e vivências que caracterizam a condição de agentes produtores de comunicação e informação local e comunitária, em ambientes digitais midiático-comunicaci onais, das pessoas e grupos que participam de projetos de inclusão digital públicos e gratuitos, no Agreste da Borborema-PB, região polarizada por Campina Grande-PB. Como referencial metodológico, foi adotada a perspectiva da pesquisa-participante, num modelo plural e flexível de webgrafia, midiografia dos telecentros e entrevista em profundidade. Com isso, pretendendo fazer o mapeamento das condições tecnológicas em multimídia dos telecentros da região, sistematizar a produção digital local e comunitária, tendo em vista identificar tipos de agência cidadã ou contra-hegemô nica em seus modelos e resultados.

rafael_intercom

Rafael Foletto

Rafael Foletto apresentou sua pesquisa “Tempos de mudança: os novos caminhos do Paraguai contextualizados à luz do relato de Juan Díaz Bordenave” no GP Mídia, Cultura e Tecnologias digitais na América Latina. Seu texto reflete sobre os relatos trazidos pela entrevista com o pesquisador e membro do governo paraguaio, Juan Díaz Bordenave. Observado no sentido de contextualizar o novo panorama político, social, comunicacional do Paraguai. Integrando uma pesquisa, na qual são analisadas as estratégias de comunicação empreendidas pela mídia impressa brasileira para construir as representações do presidente Fernando Lugo. O referido exercício se apresenta como fundamental para ampliar a compreensão da problemática de investigação, trazendo novos dados e contornos teóricos e metodológicos.

Virgínia Sá Barreto

Virgínia Sá Barreto

A pesquisadora Virgínia Sá Barreto, participou do GP Comunicação e Desenvolvimento Regional e Local, no  IX Encontro dos Grupos/Núcleos de Pesquisas em Comunicação, evento componente do Congresso da Intercom. Seu trabalho, intitulado “Comunicação, Culturas e Comunidades Periféricas na Televisão: Assistencialismo, exclusão e apaziguamento”, propõe uma reflexão a respeito das relações entre comunicação, culturas e comunidades periféricas na televisão comercial brasileira. Discute configurações, propostas de pactos simbólicos, sentidos de periferia, processos de exclusão, déficit de cidadania e qualidade na TV. Tem como objeto de observação os programas da Rede Globo de Televisão, Caldeirão do Huck, Antônia e Central da Periferia.

Os pesquisadores Ricardo Machado e Nísia Rosário apresentaram o artigo “Atualizações audiovisuais, semioses e devires: somos todos mutantes”, no GP GP Semiótica da Comunicação. Esse artigo tem como objetivo estudar as audiovisualidades (de cinema, TV, web) que apresentam corpos mutantes como referencia principal de seus textos, apontando, nessa perspectiva, devires de cultura que se configuram nas conexões entre as técnicas audiovisuais, o imaginário social, e as conjunturas cotidianas. Para isso, aborda questões relativas as corporalidades audiovisuais de seres artificiais mutantes, bem como estudos teóricos das audiovisualidades na sua relação com a semiótica. O foco do artigo, portanto, é o desenvolvimento de uma rede discursiva que se forma a partir das semioses que se constituem na interconexão dos sentidos dos vídeos. Nessa via, pode-se pensar em desvendar aspectos dos seres mutantes representados nas mídias audiovisuais e o quanto eles podem denunciar acerca da cultura, dos discursos midiáticos, das técnicas audiovisuais e da ciência.

No GP Teorias da Comunicação, a pesquisadora Daniela Schmitz apresentou sua investigação, intitulada “Assine aqui: os pactos de leitura entre a revista Elle e suas leitoras”. Sua proposta é discutir parte do referencial teórico construído na sua pesquisa de mestrado para compreender as relações entre o produto da imprensa feminina “editoriais de moda da revista Elle” e a sua recepção, focalizando os pactos de leitura que são instituídos entre essas duas instâncias. Essa problematização faz parte de uma pesquisa maior em que se buscou investigar como a feminilidade é construída na moda desta revista, focando por um lado a análise das páginas da publicação e, por outro, o processo de apropriação destes conteúdos por leitoras habituais. Para empreender a discussão, a autora trabalhou a partir dos conceitos campo de efeitos de sentidos (Verón), contrato de leitura (Fausto Neto) e modos de endereçamento (Ellsworth). Ao final, discute-se parte dos resultados de como se configuram os vínculos entre a revista e suas leitoras.

O pesquisador Bruno Alencastro apresentou sua pesquisa, “Das pinturas rupestres ao Flickr: as relações entre fotografia, imagem e memória”, no DT Comunicação Audiovisual. O trabalho é parte de uma pesquisa que tem como objetivo principal investigar o lugar que a fotografia ocupa enquanto grafia configuradora de memórias étnicas e suas imbricações com marcas de memória advindas de relações comunicacionais do cotidiano. O texto apresentado abrange um dos objetivos específicos da referida investigação; nele, busco contextualizar o desenvolvimento da fotografia, atentando para as suas relações com a imagem e para a sua inserção no processo de midiatização, a fim de entender como este desenvolvimento configura a produção de memórias sociais.

comments

Previous Post

Next Post